quinta-feira, 31 de julho de 2014

Variações sobre a língua da poesia

A língua da poesia está seca.

A língua da poesia tem aftas.

A língua da poesia esconde-se atrás dos dentes.

A língua da poesia na ponta da língua.

A língua da poesia estufada com ervilhas.

A língua da poesia enrolada na língua da prosa.

Morder a língua da poesia até fazer sangue.

2 comentários:

Filipe Guerra disse...

a língua da poesia está nas últimas. O funeral é ontem.

Laura Ferreira disse...

gosto.

Arquivo