segunda-feira, 8 de setembro de 2014

Outra constatação a que chegam é que erros gramaticais apontados no francês dos “Cantos [de Maldoror]”, por críticos antigos, em espanhol são considerados usuais e corretos, justificando-se pelo fato de o autor estar entre línguas. O bilinguismo do poeta seria assim causa de erros e êxitos, pois foi “essa condição que lhe permitiu inovar na língua francesa com mais liberdade do que aqueles que nunca saíram dela”.

Leonardo Fróes.

Sem comentários:

Arquivo