quarta-feira, 29 de outubro de 2014

A Criação

No princípio, Deus criou o céu e a terra, as duas metades do mundo, e barrou cada uma delas com manteiga.

As duas metades do mundo, amplas e abundantes, puras e bem nutridas de manteiga.

Cobertos de manteiga estão o céu e a terra, belos na manteiga, nutridos na manteiga, perfumados na manteiga, soberbos na manteiga.

Deus mastigando vorazmente, ferozmente, voraz e ferozmente. O rosto resplandecente de Deus.

O céu e a terra, ambos cobertos de manteiga, dentro da barriga de Deus, céu e terra, o grande alimento, dentro da barriga de Deus.

Deus arrotando – perdão! – de satisfação, a barriga cheia, a evidência da glória e esplendor de Deus.

(Sucedeu assim. Tal e qual.)

A barriga cheia, céu, terra e manteiga, em infinita digestão.

Deus mais olhos que barriga, tomado de cólicas, retorcendo a boca, preso de louca aflição, lançando impropérios tão cabeludos que mil universos recuam para longe.

Deus a vomitar: nasce o homem, nasce a mulher e mais dois ou três ratos.

Publicado no Porto 24 (Página dos Cronistas do Bairro).

Sem comentários:

Arquivo