terça-feira, 21 de outubro de 2014

Rosas

Desejava um poeta pobre - será necessário dizê-lo? - oferecer uma dúzia de rosas à sua inspiradora. Mas as rosas custavam caro. Era Inverno, e no Inverno as rosas têm preços inatingíveis para os poetas. Por mais fantasias contáveis que fizesse, só conseguia pagar onze. Mandou-lhe onze, e aludindo ao rosto da moça, belo e fresco como uma flor, escreveu-lhe: "Você completará a dúzia."

Pitigrilli, A Mulher de Putifar.

Sem comentários:

Arquivo