quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

O título desta história é... Oh, diabo! Esqueci-me do título desta história

Era um dia triste, fosco e frio. Elwood Veeblefetzer tinha os pés gelados. Ora, cada pessoa tem as suas manias e a de Elwood era a de não gostar de sentir os pés gelados. Por isso, passara a manhã a matar moscas na tentativa de os aquecer. Também tinha feito isto e aquilo, mas o resultado fora o mesmo: pés gelados. A culpa era obviamente dos sapatos.
Saiu de casa para comprar um par novo. Na sapataria, o empregado fez-lhe notar que os sapatos vermelhos tinham esgotado, mas que em contrapartida tinha exactamente aquilo de que ele precisava: um par de sapatos pretos. Elwood ainda torceu o nariz para um lado e para o outro, mas pôs a caixa debaixo do braço, pagou e saiu a correr.
Em casa, logo que abriu a caixa, os sapatos saltaram para o chão e desataram a fugir em todas as direcções. Sem vontade de brincar, Elwood dispôs-se a apanhá-los usando de todos os estratagemas. Primeiro, acenando-lhes com falinhas mansas. Depois, tentando esmurrá-los com o punho fechado. Mas de nada lhe serviram os estratagemas. Elwood Veeblefetzer continuava com os pés escandalosamente gelados.
- Irra! Irra! Irra! - espumava ele, em meias e agitando no ar uma furiosa e inútil cana de pesca.
Entretanto, o sapato esquerdo tinha-se escondido debaixo da cama ou voado pela janela, não sei bem. E o direito mordera a mão de Elwood com uma vivacidade invulgar para um sapato, fugindo depois como uma seta vá-se lá saber para onde.
Ora aqui está um par de sapatos que, como é hábito dizer-se, errou a vocação. E um par de sapatos que errou a vocação, dizia um escritor contemporâneo, nada mais é do que um abismo de maldade e de impudicícia.

Publicado no Porto24, página dos Cronistas do Bairro.

Sem comentários:

Arquivo