domingo, 18 de janeiro de 2015

As doutrinas de Fourier

E examinaram as doutrinas de Fourier.
Todas as desgraças vêm da coacção. Se a Atracção for livre a Harmonia há-de estabelecer-se.
A nossa alma contém doze paixões principais, cinco egoístas, quatro anímicas, três distributivas. Tendem elas, as primeiras, para o indivíduo, as seguintes para os grupos, as últimas para os grupos de grupos, ou séries, cujo conjunto é a Falange, sociedade de mil e oitocentas pessoas, que habitam num palácio. Há carros que levam os trabalhadores para o campo todas as manhãs e os trazem à tarde. Usam estandartes, dão festas, comem bolos. Toda a mulher, se assim o quiser, possui três homens, o marido, o amante e o genitor. Para os solteiros, é instituído o Bailadeirismo.
- Isto calha-me! - disse Bouvard; e perdeu-se nos sonhos do mundo da harmonia.
Graças à restauração das condições climáticas a terra tornar-se-á mais bela, graças ao cruzamento das raças a vida humana será mais longa. Poderão dirigir-se as nuvens como agora se faz com os raios, choverá de noite sobre as cidades para as limpar. Navios atravessarão os mares polares degelados sob as auroras boreais - porque tudo se produz graças à conjunção dos dois fluidos macho e fêmea, que brotam dos pólos - e as auroras boreais são um sintoma do cio do planeta, uma emissão prolífica.
- Isto ultrapassa-me - disse Pécuchet.

Gustave Flaubert, Bouvard e Pécuchet. Tradução de Pedro Tamen.

1 comentário:

Carlos Natálio disse...

Muito bom, pronto lá vou ter de comprar mais um livro... :)

Arquivo