domingo, 3 de janeiro de 2016

A gente andava sobre livros

Ele morava (...) em uma espécie de antro sombrio (...). A gente andava sobre livros, sentava-se sobre livros, mesmo a cama era coberta de livros. Um cantinho minúsculo, com uma mesinha, representava o “escritório”, e ainda, esse cantinho minúsculo estava frequentemente coberto e escondido por um livro! No meio desse rio de papel impresso, Marcel Schwob estava em seu ambiente.

Marguerite Moreno a propósito de Marcel Schwob, citada por Claudia Borges de Faveri.

1 comentário:

Janita disse...

Um ambiente que agradaria a muita gente...

Ah, como me lembro do tempo em que ficava a olhar para os livros expostos nas montras das livrarias e não tinha dinheiro para os comprar!

(Também sou uma Moreno, mas nunca estive em casa de Marcel Schwob)

Arquivo