terça-feira, 26 de janeiro de 2016

Tisana 212

Era uma vez um país de coveiros. Apertados uns contra os outros abriam as respectivas covas dos inimigos, correspondendo fielmente à sua mútua inimizade. As pás subiam e desciam brilhantes, aéreas, rítmicas, e a terra era atirada de uma cova para outra, numa chuvada feericamente pesada. Nesse país todos estavam enlouquecidos pelo desejo de retribuir a retribuição. Tinham muito sangue português.

Ana Hatherly, 463 Tisanas.

Próximo sábado, 6 de Fevereiro, pelas 17h00, no Gato Vadio.

Sem comentários:

Arquivo