quarta-feira, 24 de agosto de 2016

Breve esclarecimento sobre as árvores

É sabido que, de todos os seres que habitam o planeta, as árvores são os mais reservados, sensíveis e esquivos. Não existem outros iguais, nem sequer parecidos. Para o provar, basta lembrar o limitadíssimo número de humanos que conseguiu observar duas árvores a fazer amor. Para além de mim, apenas mais três ou quatro pessoas, incluindo, segundo creio, Mozart*.
Os seus transportes amorosos são regidos pelo mais profundo segredo. As árvores têm um faro muito apurado e nem por um só instante se deixam surpreender. Armadas de infinita paciência, esperam durante anos pelo momento certo para gozarem tranquilamente os doces prazeres, em dias de pesado e denso nevoeiro. O tema tem sido, por isso, campo fértil para a imaginação e a fantasia, existindo teorias para todos os gostos, algumas das quais bastante engenhosas e extraordinárias.
Para esgotar duma vez este assunto e desembaraçar-me dele para sempre, vou descrever os factos tal como os testemunhei, deixando aos leitores o encargo de formular o seu próprio juízo. Esta é a verdade: as árvores fazem amor sem moverem uma raiz, um raminho, uma folha sequer. Levantam voo aos pares, caem por terra, levantam voo de novo, giram no ar como longas borboletas, envolvem-se em tocantes e misteriosos bailados, e voltam a pousar sem saírem do sítio, sem um gesto. Frágeis como o orvalho da manhã, breves como um clarão de luz.
E acabou-se. Tudo se resume a isto. Disse até mais do que o necessário. E quem diz o que sabe, faz o que pode e dá o que tem, não é obrigado a mais.

* Algumas peças de Wolfgang Amadeus, em especial o Quarteto de Cordas n.º 22, parecem confirmar a minha convicção de que o compositor também terá visto árvores em cupidinosas relações.

Publicado na página do Bairro dos Livros, no Porto24.

1 comentário:

Janita disse...

De facto, temos de admitir: este blog é uma fonte inesgotável de ensinamentos diversos. Tão grande e único, que nem Deus, alguma vez, conseguiu trazer à luz do dia conhecimentos tamanhos.
Estou boquiaberta...

Arquivo