segunda-feira, 12 de setembro de 2016

Advertência ao meu editor

De todas as cartas que tenho recebido de leitores, meu caro Mestre [editor] Rowohlt, é esta a que me parece melhor. Vem de um aluno dos últimos anos duma escola técnica de Nuremberga.

«Caro senhor Tucholsky:
Permita-me que lhe expresse o meu total apreço pelas suas obras. Já sei que isso a si tanto se lhe dá, mas eu gostava de fazer ainda outra observação. Oxalá morra nos tempos mais próximos para os seus livros ficarem mais baratos (como Goethe, por exemplo). O seu último livro é mais uma vez tão caro que ninguém lhe consegue chegar.

Cumprimentos.»

Ora toma!
Caro Mestre Rowohlt, caros senhores editores! Façam-nos os livros mais baratos! Façam-nos os livros mais baratos! Façam-nos os livros mais baratos!

Kurt Tucholsky, Hoje entre ontem e amanhã. Tradução de Renato Correia.

Sábado, 1 de Outubro, 17h00, no Gato Vadio.

Sem comentários:

Arquivo