quarta-feira, 19 de outubro de 2016

E depois não faria mais nada!

Marie quer levar-me a passear. (...) Vem buscar-me ao fundo da horta, sob a árvore onde instalei uma mesinha, uma cadeira, os meus cadernos. Estou a escrever, a escrever, a escrever. Escrevi toda a minha vida, nunca soube fazer outra coisa. Marie impacienta-se:
- Nunca mais acabarás esse trabalho, essas escritas?
- Não, Marie, não acabarei.
- Se eu fosse a ti, trabalharia um dia inteiro, de manhã à noite... ou mesmo três dias a fio... e depois não faria mais nada!

Eugène Ionesco, Páginas de Diário. Tradução de Carlos Cunha.

Sábado, 5 de Novembro, pelas 17h00, no Gato Vadio.

Sem comentários:

Arquivo