sábado, 24 de dezembro de 2016

Uma coisa curiosa

«Agora começo a compreender o elevado número de espectadores que gosta de ir gratuitamente ao teatro, e isto em Moscovo», pensava comigo. «E torna-se uma coisa curiosa: ninguém pede para andar de graça no comboio. Nenhuma dessas pessoas vai à loja e pede que lhe ofereçam, por exemplo, um quilo de sardinhas. Então, porque é que no teatro não se deve também pagar?»

Mikail Bulgakov, Romance teatral. Tradução de Serafim Ferreira.

Sem comentários:

Arquivo