quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

Onde se lê "teatro" pode ler-se "literatura"

O meu teatro (peço desculpa por dizer "o meu teatro") sou eu mesmo, mas teatralizado. Ora, pertenço a uma época da história de Cuba marcada por grandes inseguranças - económica, social, cultural, política. Portanto, não é por acaso que as levo para o palco. O senhor deixou deslizar pela sua pergunta as palavras "absurdo" e "sátira". O ente social inseguro vive a sua insegurança como um absurdo e defende-se dela com a sátira.

Entrevista com Virgilio Piñera, revista Conjunto, 1971.

Sem comentários:

Arquivo