domingo, 10 de setembro de 2017

Um post saído directamente do meu umbigo

2017 está a ser um ano bom. Em pouco mais de dois meses, conseguimos partilhar com amigas e amigos, conhecidas e desconhecidos, leitores e engenheiros astrofísicos, dois livros de que nos orgulhamos até à baba: 63 histórias de Humor e 1 Poema Melancólico, de Alphonse Allais, com tradução, introdução e notas de Filipe Guerra - um dos monstros da tradução, cuja amizade e confiança nunca saberemos agradecer convenientemente -, através da Colecção Avesso, e, agora, 145 Poemas, de Konstantinos Kaváfis, com tradução e apresentação de Manuel Resende, através da nossa editora, a Flop
Não sei falar sobre Manuel Resende sem usar adjectivos. Dizer que é um dos mais originais poetas portugueses não chega. Lembrar que é um dos três ou quatro maiores tradutores da sua geração é pouco. Declarar que é um dos nossos sábios da literatura é curto. Dizer que é um dos nossos amigos mais queridos também está longe do que queremos realmente dizer. Manuel Resende fez o favor de confiar na Flop para editar um dos grandes livros e trabalhos da sua vida. Se esta antologia quase completa da poesia de Kaváfis, organizada pelo Manuel e traduzida directamente do grego, não é um dos maiores acontecimentos do ano literário, não sei o que possa ser.
É isto. Mais uma vez, convidamos todos a co-editar este livro-monumento connosco e a ajudar-nos a divulgar o projecto, partilhando, escrevendo, comentando. Saiba como participar aqui.
Muito obrigado.





1 comentário:

Luis Eme disse...

Mas por uma boa causa. :)

Arquivo