quinta-feira, 14 de dezembro de 2017

Exercício

Imaginar Chaplin e Keaton, ou Chaplin e Lloyd, a interpretarem, com todos os truques do vaudeville, este conto de Daniil Kharms, o mais chaplinesco dos grandes escritores.


PÚCHKIN E GÓGOL

GÓGOL cai dos bastidores para o palco, onde fica sossegadamente deitado. PÚCHKIN entra em cena, tropeça em GÓGOL e cai.

PÚCHKIN
Que raio é ist...! Será possível: parece o Gógol!

GÓGOL (levantando-se)
Que azar o meu! Já uma pessoa não pode ter sossego. (Dá dois passos em frente, tropeça em Púchkin e cai.) Esta é boa: parece-me que tropecei no Púchkin!

PÚCHKIN (levantando-se) Não há um minuto de sossego! (Dá dois passos, tropeça em Gógol e cai.) Mas que raio! Parece-me que voltei a tropeçar no Gógol!

GÓGOL (levantando-se)
É só incómodos, sempre e em todo o lado! (Dá dois passos em frente, tropeça em Púchkin e cai.) Mas que azar o meu! Outra vez o Púchkin!

PÚCHKIN (levantando-se)
Isto é uma vadiagem, é o que é! Uma vadiagem! (Dá dois passos em frente, tropeça em Gógol e cai.) Raios me partam! Outra vez o Gógol!

GÓGOL (levantando-se)
Isto é estarem a gozar com uma pessoa! (Dá dois passos em frente, tropeça em Púchkin e cai.) Outra vez o Púchkin!

PÚCHKIN (levantando-se)
Mas que calamidade! Uma autêntica calamidade! (Dá dois passos em frente, tropeça em Gógol e cai.) Gógol!

GÓGOL (levantando-se)
Que azar o meu! (Dá dois passos em frente, tropeça em Púchkin e cai.) Púchkin!

PÚCHKIN (levantando-se)
Que calamidade! (Dá dois passos em frente, tropeça em Gógol e cai nos bastidores.) Gógol!

GÓGOL (levantando-se)
Mas que azar o meu! (Sai para os bastidores.) 
(Por detrás do palco, ouve-se a voz de Gógol gritar: «Púchkin!»)

PANO

Sem comentários:

Arquivo