sexta-feira, 11 de maio de 2018

História

Breves notas sobre a poesia de Manuel Resende III

Universo feito de um só pano
(Soneto Americano)

Tudo o que existe por fora e por dentro de nós é feito da mesma substância, e essa substância é a História. Ainda que vivêssemos sete vidas, nada de essencial mudaria. Amor, sonho, frio, noite, fome, ódio, guerra. A História está por todo o lado, no ar que respiramos, na mais longínqua das nossas células. É o chão movediço que pisamos, os mortos que carregamos. Se a História nunca se repete porque é que tudo se repete? Século após século, milhões de dias após milhões de dias, horas, minutos, segundos. Existirá alguma força capaz de a mudar? Um dia, a utopia deixará de ser utopia?

Arre estou farto de não haver aqui nada
De perscrutar com o mínimo olhar o mínimo gesto
De ver o barbeiro da rua coleccionar selos sebosamente
De haver sempre este cheiro a peixe frito de ser sempre tão fisicamente meio-dia
Quando é meio-dia
De estar telhados sobre telhados casas sobre casas olhando a imensidade
De ser sempre tão irremediável o que ontem foi outro hoje

(Crítica da Razão Pragmática.)

Sem comentários:

Arquivo