segunda-feira, 21 de setembro de 2015

DiDonato

Gioachino DiDonato, poeta italiano de mérito, foi chamado de Nápoles para ser antagonista de Mallarmé, em Paris.
Resultaram desta disputa ásperas campanhas nos jornais, ardentes duelos de palavras, combates espirituosos nos salões, mas também pancadaria entre os frequentadores dos cafés.
A princípio DiDonato triunfou com os poemas “Uns quantos grilos em gaiolas”, “O manto de plumas” e “Pirilampos”. Todavia, quando um ou outro dos seus poemas sofreu um fracasso, em parte merecido, o sexagenário cansou-se e abandonou Paris.
Nunca mais regressou.

Sem comentários:

Arquivo