terça-feira, 7 de março de 2017

O Lado B de Húmus



Pergunto-me se Húmus pode ser lido como uma espécie de Lado A de Pedro Páramo. E Pedro Páramo o Lado B de Húmus. Onde há humidade no primeiro, há extrema secura no segundo. Onde há frio em Húmus, há calor tórrido em Pedro Páramo. Onde há negrume em Brandão, há uma luz torturante em Rulfo. De resto, a angústia é a mesma. Os fantasmas são os mesmos. O sentimento de perda é semelhante. Tudo está morto, incluindo tudo o que está vivo.

(Fotografia de Juan Rulfo)

No domingo, 12 de Março, ªSede assinala os 150 anos do nascimento de Raul Brandão.

1 comentário:

António disse...

Também me lembrei de Pedro Páramo enquanto lia o Húmus. Passam-se ambos no limbo.

Arquivo